Outubro

Dia 04, Domingo, 9h

CULTO DE SANTA CEIA (apenas membros baptizados)

Dia 10, Sábado, 9h

CONVÍVIO DOS ADULTOS

Historial - Caldas da Rainha

A Nossa História

 

No ano de 1937, chegou a Caldas da Rainha, vinda de Moçambique, uma senhora, convertida a Cristo, com o objectivo de visitar a família. Em Caldas da Rainha apenas existia, por esta altura, uma Igreja Evangélica da congregação dos Irmãos, dirigida por um Pastor de nacionalidade inglesa. Essa senhora levou os familiares à referida igreja, onde os mesmos aceitaram Jesus, como único e suficiente salvador.

Encorajados e felizes, mas com muitas dificuldades, esses novos convertidos, acompanhados do Pastor inglês, dirigiram-se ao bairro de Óbidos a fim de pregarem o Evangelho, local onde muitos já assistiam ao culto divino.

Por dificuldades com a língua inglesa e por outras variadas razões, os cultos cessaram neste lugar, contudo, permaneceram firmes na fé, os irmãos António Pedro e Sebastião Pedro, assim como as suas famílias.

Dois ou três anos depois dos referidos acontecimentos, veio fazer tratamento termal, a Caldas da Rainha, uma irmã em Cristo, de confissão Pentecostal, acompanhada da filha, tendo procurado uma Igreja Evangélica na zona, travando conhecimento com um Irmão vindo da Assembleia de Deus do Brasil, o qual lhes encontrou dormida na residência do casal António Pedro, em Águas Santas.

A referida Irmã e a sua filha foram convidadas, pelo casal António Pedro, a assistir ao culto na Assembleia de Deus, ao qual acederam, tendo experimentado o poder do Evangelho e o baptismo no Espírito Santo.

Como a Igreja dos Irmãos não aceitava a doutrina e experiencia Pentecostal, levantou alguns problemas a estes Cristãos, mas como tudo o que é de Deus não pode ser impedido pelos homens, os referidos crentes, juntamente com o Irmão Nunes Monteiro e sua família, oriundos do Brasil, começaram a efectuar cultos na residência deste. O Ancião João Ferreira efectuou algumas visitas a esses irmãos, prestando alguma assistência espiritual.

Este assunto foi exposto na Assembleia de Deus em Lisboa, ficando decidido pedir a colaboração do Pastor José de Matos, de Santarém. Foi efectuado um convite, pelos Irmãos em Caldas da Rainha, ao referido Pastor, através do seu cooperador, Durval Correia, que se deslocou a Caldas da Rainha, de bicicleta, acompanhado pelo filho do Pastor. 

O Pastor José de Matos começou a deslocar-se mensalmente a Caldas da Rainha, realizando cultos Evangélicos ao Domingo e Segunda-feira e regressando a Santarém à Terça-feira, sendo os restantes cultos do mês dirigidos pelo Irmão Nunes Monteiro.

Foi no ano de 1941, que se começaram a realizar os cultos na Igreja de Caldas da Rainha e que fundou a referida Igreja.

Como a pregação do Evangelho era agora feita por Portugueses, as pessoas vinham em grande número ouvir a mensagem Evangélica, situando-se o número de crentes convertidos em cerca de vinte.

Decorria o ano de 1944 quando celebrou o primeiro serviço de baptismos da Assembleia de Deus, no lugar de Águas Santas, instalando-se nessa zona a primeira casa de oração. Por esta altura o Pastor José de Matos passou a deslocar-se a Caldas da Rainha duas vezes por mês.

Com a ida do Pastor João Hipólito Sequeira para Santarém, a assistência espiritual a Caldas da Rainha, alargou-se a este Irmão e aos cooperadores daquele local. A Igreja continuava a crescer, pelo que foi possível consagrar uma casa de culto na cidade, em 1951, a qual se situava na Rua da Praça de Touros. A partir desta altura a assistência espiritual era efectuada, de forma contínua, todo o mês, sendo que caberia duas semanas a Santarém e duas semanas a Lisboa.

Entretanto o Pastor Matos radica-se em Rio Maior, a fim de dirigir o trabalho do Senhor que ele mesmo iniciara, o qual se alarga rapidamente a outros lugares, como Arruda dos Pisões e Malaqueijo, de onde os Irmãos o vinham buscar, transportando-o de burro.

Com o crescimento da Igreja, aumentaram igualmente os problemas, fazendo-se sentir a necessidade da vinda de um Pastor a tempo inteiro, sendo escolhido o Pastor Artur Rodrigues, o qual era ajudado pela Assembleia de Deus em Lisboa com a quantia de 800 escudos por mês, o equivalente às despesas de viagem, de Lisboa a Caldas da Rainha.

Os lugares de pregação do Evangelho foram aumentando, estendendo-se a actividade evangelística às localidades de Cadarroeira e Rebelos, onde os crentes, apesar das perseguições e outras dificuldades, foram permanecendo no caminho da salvação. Nessa altura, o então Evangelista Manuel Moutinho, dava uma precisa ajuda, cooperando com os Pastores em Caldas da Rainha e Rio Maior. 

Por motivos de saúde o Pastor Artur Rodrigues deixou Caldas da Rainha e no período em que a Igreja ficou sem Pastor, o Irmão, Horácio de Sousa, residente em Vila Franca de Xira, vinha dar assistência.

O tempo decorria e as mudanças de Pastores processavam-se, até que veio de Almeirim para as Caldas da Rainha o Pastor Armando Alexandre. Devido às dificuldades financeiras e pelo facto de a Igreja não poder suportar sozinha o sustento pastoral, o Irmão Alexandre viu-se na contingência de se empregar como chefe de uma alfaiataria. 

A Igreja foi-se estabelecendo, os lugares de pregação foram aumentando e as pessoas convertiam-se a Cristo. Nesse tempo cooperava com o Pastor Alexandre, o Irmão Nunes Rosa, residente em Caldas da Rainha.

Seguidamente chegou o Pastor José Barros de Sousa e por esta altura Caldas da Rainha recebeu o Congresso Juvenil, do qual existe a feliz recordação de uma vasta campanha de cultos ao ar livre que resultaram em várias conversões.

Foi igualmente um período de grandes lutas e dificuldades e não suportando tanto peso, o Pastor Barros saiu, sendo substituído pelo Pastor José Carlos do Nascimento, de Castelo Branco.

Deus usou este Pastor de forma maravilhosa e os trabalhos e pesos que se sentiam, deixaram de existir. Bombarral, Serra d’El Rei, Painho, Alcobaça e Leiria foram locais onde o evangelho se solidificou. A tenda onde se efectuavam grandes cultos esteve em Alcobaça e Leiria, tendo daí resultado a abertura da casa de oração na cidade do Lis. Foi igualmente necessário abrir uma nova casa de oração em Caldas da Rainha, em virtude do crescimento da Igreja.

Com o início do trabalho em Leiria, o Pastor José Carlos do Nascimento passou a dirigir a Igreja em Leiria, enquanto o Pastor Domingos Barradas dirigia a Igreja em Caldas da Rainha. Deus continuou a abençoar a Igreja, que crescia cada vez mais a ponto de ser dado um grande passo de fé, com a compra de uma casa para os cultos a Deus, largamente maior que a existente.

A Igreja tinha vida própria, existia um ministério desde o tempo do pastorado anterior, o número de cooperadores cresceu e a Igreja firmou-se. Posteriormente o Pastor Domingos Barradas saiu, dando lugar ao Pastor Vítor Borges. 

O Pastor Luís Cabral Ançã assumiu a responsabilidade da Igreja em 1984, tenso sido durante o seu pastorado feita a reposição da área de Leiria à Igreja de Caldas da Rainha, a qual por sua vez voltou a tomar a sua autonomia sob a liderança do Pastor António Albino. Também a área de Rio Maior, onde se encontrava o Pastor José da Cruz Silva, voltou a Caldas da Rainha.

A pregação do evangelho chegou a outros lugares, como por exemplo Barreiras, São Gregório, Sancheira Grande e Rostos, onde foi igualmente inaugurando um templo. Em Caldas da Rainha, uma vez que a Igreja estava em crescimento e o anterior templo já não tinha capacidade para albergar os que ali prestavam culto, foi inaugurado um novo templo, no centro da cidade, em Dezembro de 1990.

No ano de 1991, celebraram-se os 50 anos da fundação da Igreja na cidade de Caldas da Rainha, com uma publicação especial na revista Novas de Alegria.

O Pastor Luís Ançã dirigiu a Igreja em Caldas da Rainha, até Dezembro de 1994, sendo substituído pelo Pastor Manuel da Silva Moutinho em 15 de Fevereiro de 1995, o qual já tinha estado na área de Caldas da Rainha, enquanto cooperador.

Durante o tempo do Pastor Moutinho a Igreja continuou a crescer, tendo realizado vários projectos emblemáticos, como concertos, musicais e encontros juvenis.

Relembramos o Oeste Júnior de Mafra, realizado em 2001, com a participação da Igreja de Caldas da Rainha, que contou ainda com uma vertente solidária, uma vez que houve a oportunidade de recolher brinquedos e material escolar para uma missão em África.

Igualmente merecedor de destaque, como encontro marcante nas Caldas da Rainha, foi o ENJUV, encontro nacional de jovens das Assembleias de Deus em Portugal, tempo dedicado aos mais jovens.

Durante este tempo e em continuidade com épocas anteriores, foram vários os eventos realizados no Campo Bíblico, situado na freguesia do Nadadouro, concelho de Caldas da Rainha e que, embora gerido pela Convenção das Assembleias de Deus em Portugal, está profundamente ligado com a Igreja de Caldas da Rainha.

Em 2007, o Pastor Moutinho terminou o seu trabalho em Caldas da Rainha, tendo deixado uma Igreja em crescimento e de boa saúde, tanto financeira, como espiritual.

Em 4 de Março de 2007, o Pastor Carlos Alberto Salgado substituiu o Pastor Moutinho, sendo Pastor da Igreja de Caldas da Rainha até Setembro de 2015. 

Desde Setembro de 2015, o Pastor Manuel Matos preside interinamente a Igreja de Caldas da Rainha sendo simulataneamente o Pastor responsável pela congregação de Rio Maior.

A Igreja de Caldas da Rainha, abrange, neste momento, na sua congregação zonas como Alcobaça, Rio Maior, Rebelos, Cadarroeira, São Martinho, Painho e Rostos, contando actualmente com mais de 300 membros baptizados.

Na vertente social, podemos destacar a visitação a idosos e pessoas doentes; realização anual de festas convívio para pessoas da 3ª idade; desenvolvimento de actividades de Natal e Páscoa com o envolvimento de crianças e jovens; celebração anual no âmbito do dia mundial da criança; distribuição de roupas; recolha e distribuição de bens alimentares a pessoas carenciadas e o serviço de apoio aos reclusos do Estabelecimento Prisional de Caldas da Rainha que engloba também uma festa convívio todos os Natais.

Foram realizados seminários, com a colaboração de profissionais de saúde e de outras áreas, irmãos com experiência da salvação, com muita capacidade, abordando temas ligados à saúde quer física quer espiritual bem como na área dos relacionamentos, atingindo as mais diversas faixas etárias. 

Na vertente dos apoios podem destacar-se donativos, tanto pontuais como fixos, que dão resposta a pedidos de ajuda devidamente referenciados e justificados e o apoio financeiro prestado regularmente ao longo dos anos de existência da Igreja, à Instituição Particular de Solidariedade Social, Lar de Betânia, como sede em Estremoz.

Tem sido grande o esforço feito nestes últimos anos, para que seja prestado um serviço social de qualidade à comunidade, sendo vontade da Assembleia de Deus de Caldas da Rainha, aumentar e melhorar este apoio. 

No passado ano de 2013, celebrou-se o centenário da Assembleia de Deus em Portugal, celebração na qual a Igreja de Caldas da Rainha foi parte importante.

No ano de 2016, se Deus assim permitir, será inaugurado um novo templo em Caldas da Rainha, substituindo o actual, correspondendo à vontade dos seus membros e à dinamização desta Igreja.

Ao longo destes 70 anos de presença em Caldas da Rainha, muitas foram as lutas e muitos foram os esforços e sempre trabalhámos com objectivos que pareciam impossíveis, pois é principalmente nestes que o nosso Deus se manifesta.

Muitos foram os homens de fé, que em fracas condições logísticas e num país muito diferente, trabalharam em prol desta Igreja. Muitas foram as pessoas que, apesar da pressão da sociedade, mantiveram firmes as suas convicções e a sua fé e com isso ajudaram ao crescimento da Igreja. 

Apesar dos homens de fé, da convicção e fé dos membros, do amor, da abnegação, da coragem, da ousadia, do compromisso e da amizade, apesar do imenso trabalho que cada um fez, maior foi e é o nosso Deus, que tornou o impossível em concretizado e a potencial derrota em grande vitória.

 

“Mas ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.”  – Lucas 18:27

Pr. Matos - Deus dá formação aos seus servos

 

Departamento de Apoio aos Reclusos

DEPARTAMENTO DE APOIO  RELIGIOSO AOS RECLUSOS DO ESTABELECIMENTO PRISIONAL DE CALDAS DA RAINHA


Este trabalho começou no ano 1983 com os irmãos Hermínio Jorge santos e Fernando Santos, membros da Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Caldas da Rainha, vindo sempre esta equipa a ser renovada até aos dias de hoje.


Presentemente é enviada uma equipa de 6 homens, membros da igreja, de 15 em 15 dias, ao sábado das 17 às 18 horas. estes, no passado tinham as suas vidas presas pelo vício do álcool, da droga, algumas sem alegria de viver (vidas desfeitas), mas um dia entregaram-se a Jesus Cristoe ele com o seu poder os tem libertado, restaurado, transformado, dando-lhes a alegria de viver.


A nossa missão consiste em levar estes homens, privados da liberdade (reclusos), a conhecerem aquele que lhes pode dar a paz e a verdadeira liberdade enquanto se encontram ali detidos, Jesus Cristo.


Deslocamo-nos ali com alguns instrumentos musicais para, juntamente com os reclusos, orarmos, louvarmos, adorarmos, pregarmos e estudarmos a palavra de Deus, dizendo-lhes quem é Jesus, o que ele fez nas nossas vidas e aquilo que ele pode e quer fazer na vida daqueles que  entregam as suas vidas nas suas mãos (João 8:32 Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará).


Na continuação deste trabalho, passamos também três filmes por ano de cariz evangélico. Estes filmes são projectados na sala de visitas, onde todos os reclusos têm a plena liberdade para assistir, assim como às nossas reuniões e ainda nesta mesma sala, é nos concedida oportunidade de realizarmos um lanche convívio com os reclusos, para termos assim um melhor conhecimento entre nós, que tem sido realizado na semana do natal de cada ano.


Muito recentemente iniciámos um discipulado (para levar os reclusos a ter mais conhecimento das coisas de Deus) e como resultado deste trabalho temos sempre uma boa assistência nas reuniões.


Ouvimos de suas bocas dizer que Deus tem tocado em suas vidas e que sentem a ajuda de Deus naquele lugar.


Os próprios guardas prisionais testemunham muitas vezes que não sabem explicar o porquê de eles terem melhorado a sua conduta.


Nós próprios, os que vamos ali, podemos testemunhar esta realidade!


Tudo agradecemos ao nosso Deus, porque é Ele, através do Seu poder, que salva, liberta e transforma vidas.


Só através do seu poder este trabalho pode ser uma realidade.


Continuamos a precisar das orações da igreja e do seu apoio para esta missão.


A Deus toda a glória, que Deus ricamente abençoe! 


RESPONSÁVEL – Fernando Lucas

EQUIPA: Fernando Lucas / Leandro Costa / Paulo Cipriano / Joaquim Amável Manuel Oliveira / Francisco Milhinhos.